Politécnico de Portalegre: empreendedorismo e inovação em crescimento

Estamos prestes a iniciar um novo ano escolar, cheio de desafios a todos os níveis. Depois de praticamente meio ano letivo atípico e com ensino a distância, todos na comunidade académica somos novamente obrigados a mudar: máscaras, distanciamento social ou limitação da lotação das salas são apenas alguns exemplos daquele que será o “novo normal” do ensino superior.

Tem sido notável a capacidade de adaptação de um conjunto de instituições, onde se inclui o Politécnico de Portalegre. E neste ano letivo que se aproxima desafiante e com as mudanças acima anunciadas, o Politécnico continuará a crescer, em várias das suas vertentes.

Destaco em primeiro lugar o crescimento da nossa BioBIP: crescerá em dimensão (com a sua ampliação) mas também na capacidade para dar resposta a todos os desafios da região. Ainda muito recentemente, no início de setembro, foi assinado o termo de aceitação de um projeto que permitirá ao Politécnico e à BioBIP a contratação de um total de seis recursos humanos altamente qualificados, que apoiarão diretamente as empresas ali incubadas.

A BioBIP é uma infraestrutura essencial do Politécnico, porque contempla duas vertentes essenciais do Politécnico: o empreendedorismo por um lado e a investigação, por outro.

O empreendedorismo é um desígnio do Politécnico de Portalegre há vários anos, sendo a instalação da BioBIP (e agora a sua ampliação) um elemento fundamental para a prossecução dessa estratégia. O Gabinete de Empreendedorismo e Emprego, com membros das diferentes escolas do Politécnico, tem permitido fomentar o espírito e a cultura empreendedora no Politécnico. A recente decisão de manutenção do concurso regional do Politempreende por parte do Politécnico é um claro sinal de que o empreendedorismo é fundamental no Politénico.

Mas além do empreendedorismo, a BioBIP permite também potenciar a investigação, uma vez que dispõe de um conjunto de soluções tecnológicas e laboratoriais de apoio às empresas incubadas. Além disso, fisicamente a BioBIP tem instalada a estrutura de investigação do Politécnico de Portalegre, ancorada na C3i, com resultados que são paradigmáticos em relação ao sucesso da investigação do Politécnico. Ano após ano, os indicadores de investigação do Politécnico provam o crescimento da investigação: publicações científicas, número de projetos e montante aprovado nesses projetos são apenas alguns desses indicadores que mostram a vitalidade do Politécnico.

A continuidade é, por isso, uma marca indelével do Politécnico de Portalegre, mesmo num contexto de mudança e que tem permitido o seu reconhecimento a vários níveis. Alicerçados em pilares como o empreendedorismo e a investigação, intimamente ligados à BioBIP, continuamos a preparar-nos para dotar o Politécnico de mais e melhores competências, que nos tornarão melhores ao longo do tempo, contribuindo para o objetivo final de ajudar no desenvolvimento do Alentejo!

Paulo Ferreira

Membro do Gabinete de Empreendedorismo e Emprego enquanto Subdiretor da Escola Superior Agrária de Elvas